e-goi

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Interpelação extra judicial ao senhor Luiz Inácio Lula da Silva


Cabe uma interpelação extra judicial ao senhor Luiz Inácio Lula da Silva para que confirme ou negue as palavras que lhe foram atribuída por um órgão de imprensa não ainda identificado. Caso confirme, trata-se de uma declaração que atinge o pundonor dos militares, tornando indeclinável o dever de acioná-lo pelo crime de Injúria.

Caso comandantes de Força não ingressem em juízo ( e estou quase certo de que se omitirão ), o Clube Militar, que, em tese, nos representa, terá de fazê-lo. E, também, os aguerridos grupos TERNUMA e GUARARAPES. Por último, se não o fizerem ( também penso que se omitirão pois são muito afirmativos em valentia verbal, ou seja, muita fala e nenhuma bala ), não podemos deixar de convocar um grupo de militares inativos para ingressar com a ação. A única dirimente que poderá beneficiar a Lula é seu estado permanente de embriaguez.

BATALHA



Pelo menos um !!!
Por Geraldo Erico Acioli Rebelo


Diante da reação negativa dos militares à escolha de Celso Amorim para comandar o Ministério da Defesa, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou os militares descontentes com a nomeação. “Eu não sei se cabe a esses militares gostarem ou não gostarem”, disse Lula, que está na Colômbia. “Ela (a presidente Dilma Rousseff) é a chefe suprema das Forças Armadas, indicou o ministro e acabou, não se discute. Estou c… e andando para esses caras (os militares). No meu governo, tiveram que me agüentar e viviam me enchendo o saco pedindo migalhas de reajuste. Pediam uma coisa, eu enrolava e nunca dava o que eles pediam; depois dava uma esmola qualquer e não me sacaneavam mais. Não tenho medo deles; nunca tive.”


Para Lula, a presidente escolheu bem, não há nome melhor e, quanto à competência de Amorim, “ é o homem ideal , no cargo certo. Ele vai dar um jeito naquele troço (MD). … “


SEGUE MINHA RESPOSTA-DESAGRAVO:

Ex-presidente Lula da Silva e Exmos. Srs. Comandantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica, Eu, militar aqui de baixo na escala hierárquica, me senti, pessoal e profissionalmente, se bem que indiretamente, vilipendiado, desrespeitado e indignado diante dos escárnios proferidos, bem ao seu estilo e publicamente, pelo Lula da Silva, conforme o texto acima.

Assim, quero exercer, também publicamente, meu direito de resposta.

Falo que me senti indiretamente desrespeitado porque, na verdade, diretamente escarnecidos foram os comandantes das três forças, nossos representantes junto ao governo, através de frases como “Estou c… e andando para esses caras”; “tiveram de me agüentar”, “viviam enchendo meu saco pedindo migalhas de reajuste”, “eu enrolava”, “nunca dava o que eles pediam”, “dava uma esmola qualquer”, etc.

- Lula da Silva, quero lhe lembrar que, graças à ação dos militares em 1964, nosso país vive hoje numa democracia e, por isso, pela alternância do poder que ocorre nesse regime, você no momento não é mais nenhuma autoridade. Quero lhe lembrar que sua figura política foi engendrada por um militar, o General Golbery do Couto e Silva, a quem você deve agradecer a sugestão da criação do seu partido.

Lembro-lhe também que é de bom alvitre respeitar para ser respeitado.

Como isso, publicamente, não acontece de sua parte, fico liberado para lhe dizer, também publicamente, algumas coisas que, a meu ver, são verdadeiras:

1) os militares o respeitaram formalmente durante seus dois mandatos, por dever de lealdade institucional e por força do dever constitucional ( “As Forças Armadas … destinam-se … à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem.”). Os militares são profissionais altamente dedicados ao cumprimento de suas tarefas e missões, que deveriam, de sua parte, ter seu trabalho reconhecido e não serem escarnecidos dessa forma;

2) em reação igual e de sentido contrário, posso lhe dizer que não o respeito hoje, formalmente nem realmente, por vários motivos, entre os quais:

a) não me convence você dizer que não sabia da corrupção e dos lamentáveis fatos do escândalo do mensalão ocorridos em sala vizinha à sua e coordenados por seu assessor direto e imediato;

b) não me convence a sua versão para o enriquecimento abrupto, da noite para o dia, do seu filho;

c) você, antes de chegar ao poder, vivia adjetivando agressivamente seus adversários políticos, entre eles o senador Sarney e sua família. Porém, ao chegar ao poder transformou-se num vira-casaca e passou a adjetivar o Sr Sarney e sua família com as mais agradáveis e amigáveis palavras, inclusive justificando-o como um homem acima do normal, acima de qualquer suspeita, etc;

d) esses fatos, por si só, já são suficientes para o presente texto. Claro que há outros e outros fatos desabonadores, que, mediante rápido aprofundamento, poderíamos citar (cartões corporativos, etc, etc);

e) você está delirando. Os militares não querem impingir medo a ninguém, mas achamos que respeito mútuo é fundamental;

3) a meu ver, cabe-lhe perfeitamente a carapuça do personagem criado por Mário de Andrade, o famigerado Macunaíma, o herói sem caráter, pois você se apresenta sempre de acordo com a coloração que venha no momento lhe trazer benefícios. Verdadeiro camaleão.

- Exmos Srs. Comandantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica,

quero deixar claro que eu, seu subordinado hierárquico, no presente pronunciamento, não pretendo, em hipótese alguma, ferir os princípios da hierarquia e/ou da disciplina, bem como não tenciono, também em hipótese alguma, exercer desrespeito à imagem pessoal ou profissional de Vossas Excelências. Isto quem o fez, clara e publicamente, foi o ex-presidente Lula da Silva, conforme o texto inicial.

Bem ao contrário disso, meu pensamento é fazer um desagravo de Vossas Excelências a respeito do que considero escárnios proferidos pelo ex-presidente.

Faço isso por dever de lealdade para com os senhores, bem como por me sentir, pessoalmente e como membro da classe, atingido em minha honra e dignidade.

Geraldo Erico Acioli Rebelo é Coronel da Reserva do EB.



Nenhum comentário: