e-goi

sábado, 15 de setembro de 2012

O SEGREDO DO CONTRABANDO OFICIAL DO NIÓBIO



Por : Internet ( Mário Assis Causanilhas )

Cada vez mais , no dia-a-dia, o tema é abordado em reportagens nas mídias escrita e televisiva, chegando a já ser alarmante.

Como é possível que metade da produção brasileira de nióbio seja subfaturada “ oficialmente ” e enviada ao exterior, configurando assim o crime de descaminho , com todas as investigações apontando de longa data, para o gabinete presidencial ?

Como é possível o fato do Brasil ser o único fornecedor mundial de nióbio ( 98% das jazidas desse metal estão aqui), sem o qual não se fabricam turbinas, naves espaciais, aviões, mísseis, centrais elétricas e super aços; e seu preço para a venda, além de muito baixo , seja fixado pela Inglaterra , que não tem nióbio algum ? E EUA, Europa, e Japão são 100% dependentes do nióbio brasileiro.

Como é possível em não havendo outro fornecedor, que nos sejam atribuídos apenas 55% dessa produção, e os 45% restantes saiam extra-oficialmente , não sendo assim computados.

Estamos perdendo cerca de 14 bilhões de dólares anuais, e vendendo o nosso nióbio na mesma proporção como se a OPEP vendesse a 1 dólar o barril de petróleo, com o agravante de que o petróleo existe em outras fontes, e o Nióbio só tem no Brasil ; podendo ser uma outra moeda nossa.

Não é um descalabro alarmante ?

O publicitário Marcos Valério , na CPI dos Correios , sob pressão revelou na TV para todo o Brasil, dizendo: “O dinheiro do mensalão não é nada, o grosso do dinheiro vem do contrabando do nióbio ”.

E ainda: “O ministro José Dirceu estava negociando com bancos, uma mina de nióbio na Amazônia”. Ninguém teve coragem de investigar … Ou estarão todos ganhando com isso ?

Some-se a esse fato o que foi publicado na Folha de S. Paulo em 2002: “ Lula ficou hospedado na casa do dono da CMN (produtora de nióbio) em Araxá-MG , cuja ONG financiou o programa Fome Zero ”.

As maiores jazidas mundiais de nióbio estão em Roraima e Amazonas ( São Gabriel da Cachoeira e Raposa – Serra do Sol ), sendo esse o real motivo da demarcação contínua da reserva, sem a presença do povo brasileiro não-índio para a total liberdade das ONGs internacionais e das mineradoras estrangeiras .

Há fortes indícios que a própria FUNAI esteja envolvida no contrabando do nióbio , usando índios para envio do minério à Guiana Inglesa , e dali aos EUA e Europa.
A maior reserva de nióbio do mundo , a do Morro dos Seis Lagos , em São Gabriel da Cachoeira ( AM ), é conhecida desde os anos 80, mas o governo federal nunca a explorou oficialmente , deixando assim o contrabando fluir livremente , num acordo entre a presidência da República e os países consumidores , oficializando assim o roubo de divisas do Brasil.

Todos viram recentemente Lula em foto oficial, assentado em destaque, ao lado da rainha da Inglaterra .

Nação que é a mais beneficiada com a demarcação em Roraima , e a maior intermediária na venda do nióbio brasileiro ao mundo todo.

Pelo visto, sua alteza real Elizabeth II demonstra total gratidão para com os nossos “ traíras ” a serviço da Coroa Britânica. Mas, pelo andar dessa carruagem, esse escândalo está por pouco para estourar.

Afinal, o segredo sobre o nióbio como moeda de troca , não está resistindo às pressões da mídia esclarecida e patriótica e tem sido exaustivamente questionado pela Internet .

NUM PAÍS DECENTE, OS RESPONSÁVEIS POR TAMANHA TRAIÇÃO JÁ ESTARIAM TODOS NA CADEIA ...

Fonte Internet: Enviado por : carteirapreta@hotmail.com

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Aviação em números

Vocês sabem onde fica o aeroporto mais alto do mundo? E o mais isolado? Alguma ideia, por acaso, de quanto dinheiro movimenta a indústria da aviação em âmbito mundial?

Estas e outras várias perguntas hipotéticas sobre o universo composto por aviões, aeroportos, companhias aéreas e, claro, passageiros sugerem surpreendentes respostas. O site da rede norte-americana de notícias CNN compilou várias delas e as publicou em recente reportagem.

Confiram abaixo uma seleção com curiosas informações e estatísticas reunidas na matéria. A dica partiu do queridíssimo leitor do blog Hugo Sterman Filho.

INDÚSTRIA

A aviação movimenta aproximadamente 2,2 trilhões de dólares por ano, o que corresponde a 3,5% do Produto Mundial Bruto e equivale ao PIB da Itália, a quarta maior economia da União Europeia e a oitava do mundo. Emprega direta ou indiretamente 56,6 milhões de pessoas.

AEROPORTOS

-Existem 3.846 aeroportos comerciais no mundo.

-O aeroporto de maior movimento internacional no mundo é o Heathrow, em Londres: em 2011, a principal porta de entrada da capital do Reino Unido gerenciou o trânsito de 64,7 milhões de usuários em voos internacionais.

No dia 13 deste mês, auge do verão na Europa, Heathrow registrou movimento recorde em sua história: 137 mil passageiros.




Check-in massivo em Heathrow: imbatível em fluxo internacional (Foto: Getty Images)

-O aeroporto de maior movimento no mundo (contando voos nacionais e internacionais) é o Hartsfield Jackson, em Atlanta, EUA: 92 milhões de pessoas o utilizaram em 2011.




Aeroporto de Hartsfield Jackson, em Atlanta: o mais movimentado (Foto: Getty Images)

-O maior aeroporto do mundo é o King Fahd, em Dammam, Arábia Saudita (foto de abertura do post): ocupando área de 780 quilômetros quadrados, tem praticamente o tamanho da cidade de Nova York.



O Aeroporto de Damman, Arábia Saudita: maior do mundo (Foto: Divulgação)

Já o maior terminal é o 3 do Aeroporto Internacional de Dubai, nos Emirados Árabes (388 quilômetros quadrados).



O gigantesco Terminal 3, do Aeroporto de Dubai, aberto em 2008 (Foto: Dubai International Airport)

-Os aeroportos mais próximos entre si são os das ilhas vizinhas Papa Westray e Westray, na Escócia: apenas 2,83 quilômetros os separam, distância que pode ser percorrida por uma aeronave em 96 segundos.



Os aeroportos "vizinhos" das ilhas de Westray e Papa Westray, na Escócia (Imagem: Google Maps)
- A menor pista de aeroporto comercial do planeta é a do Juancho E.Yrausquin, em Saba, uma das Antilhas Holandesas: 396 metros de comprimento.



A menor pista de pouso e decolagem do mundo, em Saba, nas Antilhas Holandesas (Foto: Fentener Van Vilssingen)
-O aeroporto mais alto do mundo é o Qamdo Bangda, no Tibete: 4.333 metros de altura. Com mais de 4 quilômetros de extensão, sua pista de pouso e decolagem é bem mais longa do que a média, porque as aeronaves custam mais a parar por causa da baixa resistência do ar, mais rarefeito a esta altitude.




Qamdo Bangda, no Tibete: aeroporto mais alto do mundo (Foto: Eric Finalyson)
-O aeroporto mais isolado do mundo é o Mataveri, na Ilha de Páscoa, que dista 3.759 quilômetros da cidade mais próxima (Santiago, Chile).

COMPANHIAS AÉREAS E AVIÕES

-Até o final de 2010, haviam em operação no mundo 1.700 companhias aéreas.
Naquele ano, lucraram um total de 7,9 bilhões de dólares. As empresas gastam cerca de 26% de seu orçamento em combustível, o que em 2011 representou um total de 177 bilhões de dólares em 2011.

-A vida útil de um avião comercial geralmente se estende por 20 a 25 anos, voando40.274.144 quilômetros, o suficiente para dar 1.000 voltas completas na Terra.

PASSAGEIROS

-2,6 bilhões de passageiros viajam de avião anualmente.

Em média, os voos decolam com 77% de sua capacidade preenchida (índice bastante superior a todos os outros meios de transporte).

A superporvoada zona Ásia-Pacífico lidera o volume de tráfego (34%), seguida por América do Norte e Europa (27% cada).

sábado, 1 de setembro de 2012

A nova aeronave de transporte KC-390



A nova aeronave de transporte KC-390 que a Embraer Defesa e Segurança está desenvolvendo tem o apoio da Força Aérea Brasileira, que já encomendou um primeiro lote. (Foto: Embraer)


A Embraer é uma marca sinônimo de aviação comercial e executiva, mas poderá também tornar-se uma das maiores empresas do mundo em defesa? A empresa aeroespacial brasileira está se reposicionando para atingir esse objetivo, e o catalisador para a mudança é uma série de contratos de bilhões de dólares em defesa que estão chegando ao Brasil.
Existe o Sisfron, um sistema integrado de monitoramento de fronteira avaliado em US$ 6 bilhões que o Exército Brasileiro planeja colocar em operação para proteger as fronteiras terrestres do país. O Brasil tem fronteiras com 10 países diferentes, totalizando quase 17.000 km (10.560 milhas). Há também o SisGAAz, também conhecido como “Amazônia Azul”, um projeto de US$ 2 bilhões liderado pela Marinha para proteger a zona econômica exclusiva do Brasil. O Brasil deriva muito de sua riqueza econômica de suas plataformas de petróleo e de gás na costa marítima. O governo também quer proteger a sua pesca e garantir que ele tenha a capacidade de monitoramento para evitar quaisquer incursões. Outro importante programa envolve um satélite geoestacionário que terá uma carga útil para comunicação militar.
Além disso, existem contratos de defesa e de segurança decorrentes da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos, que serão realizados no Brasil em 2014 e 2016, respectivamente.

Os contratos exigem que as empresas tenham experiência em radares baseados no solo, sensores, vigilância aérea, comunicação via satélite, observação da Terra, e comunicações de rádio.

O Super Tucano é um dos maiores sucessos da Embraer Defesa e Segurança.

A Embraer criou sua separada unidade de negócios de defesa e segurança, a marca Embraer Defesa e Seguranca. Luiz Carlos Aguiar, que anteriormente era diretor financeiro da Embraer, é agora CEO da Embraer Defesa e Segurança.

“Estamos tentando emular no Brasil o que as empresas de defesa europeias e norte americanos fizeram no passado”, diz Aguiar, referindo-se a empresas como a Boeing, que tem as atividades empresariais de defesa e de aviação comercial que são gerenciadas separadamente, cada um com seu próprio CEO .

Mesmo com o que a Embraer já consiga com suas aeronaves de ataque leve Super Tucano e aviões de alerta aéreo antecipado (AEW) EMB-145, o setor de aviação comercial e executivo ainda é responsável por 80% da receita do grupo Embraer. No entanto, uma parcela da receita de 20% no primeiro semestre deste ano é uma conquista para a Embraer Defesa e Segurança, porque o trabalho no ano passado de defesa da Embraer foi de apenas 15%. Aguiar prevê que a Embraer Defesa e Segurança possa representar 25% em 2020. No ano passado, a unidade teve uma receita de 859 milhões dólares, este ano, a previsão é de ultrapassar “um pouco mais de $ 1 bilhão”, diz ele. Em 2006, os negócios da Embraer em defesa resultaram numa receita de apenas US$ 400 milhões, acrescenta.

Através de parceria a Embraer está desenvolvendo o VANT Harpia.
A Embraer Defesa e Segurança é a 74ª maior empresa de defesa do mundo, diz Aguiar, e a consolidando no setor de defesa na Europa e América do Norte significa que a Embraer Defesa e Segurança vai subir no ranking. Aguiar prevê que em 2020 a receita da Embraer Defesa e Segurança vai ter mais do que dobro em comparação com 2012.

A Embraer Defesa e Segurança impulsionou suas receitas, em parte através de aquisições. Recentemente, adquiriu a Orbisat, fabricante de equipamentos de radares baseados em terra, e a Atech, especialista em C4I (comando, controle, comunicações, computadores e inteligência). A Embraer Defesa e Segurança também estabeleceu a Visiona, uma joint venture com a empresa de telecomunicações estatal brasileira Telebrás. A Visiona vai liderar o impulso em satélites e tecnologia espacial. E a Embraer Defesa e Segurança formou uma joint venture com a Elbit Systems de Israel para desenvolver UAVs, especificamente os de controle de fronteira.
Um motivo chave por trás das aquisições, diz Aguiar, é de reunir os conhecimentos e capacidades que a Embraer Defesa e Segurança precisa para competir em novos contratos. Ele diz que a Embraer está interessada em comprar mais empresas de defesa, particularmente aquelas com experiência em monitoramento e vigilância. A preferência, no entanto, é para empresas locais ao invés de aquisições estrangeiras.

A Orbisat e a Atech estão baseadas no Brasil. Uma estratégia para cortejar os líderes do governo brasileiro envolve destacar que a Embraer Defesa e Segurança está oferecendo um produto desenvolvido localmente e assegurando que o Brasil tenha a tecnologia e a capacidade para se auto proteger, sem depender de empresas estrangeiras. Os executivos da Embraer Defesa e Segurança também dizem que como a tecnologia evoluiu no país, a Embraer Defesa e Segurança possui a propriedade intelectual e, como consequência, é livre para comercializar os sistemas em outros países.

A estratégia é apropriada porque os contratos multibilionários de defesa do Brasil chamaram a atenção de outras empresas brasileiras, que estão impulsionando sua própria experiência e capacidade em parceria com fabricantes de defesa estrangeiras.

A Andrade Gutierrez, um diversificado conglomerado brasileiro, que começou na área de construção, e é hoje uma das maiores empresas do país, estabeleceu a Andrade Gutierrez Defesa e Segurança, uma joint venture com a Thales. A entidade francesa possui 40%, enquanto que a parte brasileira possui 60%. Orlando Neto, que anteriormente dirigiu o negócio de defesa da Embraer, é líder da Andrade Gutierrez Defesa e Seguranca.
No passado, podia se dizer que o governo brasileiro automaticamente celebraria contratos com a Embraer, mas isso já não é o caso, já que a Embraer já não uma empresa estatal. O governo possui apenas 0,3% da empresa, embora tenha direito de veto sobre as atividades através de ações “ouro”.

Um ponto chave no desenvolvimento do negócio de defesa é que a Embraer pode se beneficiar da generosidade do governo e evitar as crises na aviação comercial e executiva. Isso também significa que alguns dos custos da Embraer de Pesquisa e Desenvolvimento são cobertos pelo governo.

Fonte: Leithen Francis / Aviationweek – Tradução: Cavok