e-goi

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

O que foi a REFORMA











No dia 31 de outubro de 1517, o monge agostiniano Martinho Lutero, indignado com os abusos da Igreja Católica Romana, afixou na porta da catedral de Wittenberg, na Alemanha, suas 95 teses, que contestavam, entre outros assuntos, a comercialização do perdão dos pecados e a salvação por obras, fato que desencadeou a Reforma Protestante.


Em razão de sua postura teológica, Lutero foi ameaçado de excomunhão pela igreja católica, o que o levou a queimar em praça pública a bula de excomunhão emitida pelo pontífice romano. Alguns anos mais tarde, Lutero publicou seu Catecismo Menor, através do qual explica, em linguagem simples, a teologia da Reforma. Lutero traduziu a Bíblia para o alemão, tendo contribuído grandemente para o acesso à Palavra de Deus pelo povo da época. Além de Lutero, reformadores como João Calvino, Ulrich Zwinglio e Martin Bucer tiveram papéis determinantes na história da Reforma Protestante.


Indubitavelmente, a Reforma trouxe grandes conquistas para a igreja, ao restituir a crença em doutrinas genuinamente bíblicas e indispensáveis à saúde da igreja, que podem ser resumidos em 5 pontos: somente a Escritura, somente a fé, somente a graça, somente Cristo e glória somente a Deus.


Após quase 500 anos de Reforma, grande parte da igreja desconhece esse importante acontecimento histórico, bem como suas consequências e impactos para a igreja hoje. Tendo retornado à Idade das Trevas, muitos atualmente comercializam a fé, negociam o evangelho e, como disse H. Richard Niebuhr, em sua famosa frase a respeito do liberalismo, — proclamam e adoram “um Deus sem ira, o qual trouxe homens sem pecado para um reino sem julgamento por meio de ministrações de um Cristo sem a cruz”. Em suma, desconhecem a verdade do evangelho. Nosso objetivo ao comemorar o Dia da Reforma é encorajar igrejas e ministérios a retornarem às verdades das Escrituras, através do correto conhecimento do Deus Todo-Poderoso, que por sua abundante graça, reconciliou consigo mesmo, através do sacrifício expiatório de Jesus na cruz do calvário, um povo escolhido de antemão e amado incondicionalmente.


Comemore com o Ministério Fiel o Dia da Reforma, compartilhando frases de reformadores que mudaram a história da igreja, e ajude-nos a proclamar o verdadeiro evangelho!


Saiba mais: Texto, Áudio ou Vídeo.

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Experiencias com animais. Certo ou Errado.

Talidomida (vários usos)


A talidomida esteve ao mercado pela primeira vez na Alemanha em 1 de outubro de 1957. Foi comercializada como um sedativo e hipnótico com poucos efeitos colaterais. A indústria farmacêutica que a desenvolveu acreditou que o medicamento era tão seguro que era propício para prescrever a mulheres grávidas, para combater enjôos matinais.

Foi rapidamente prescrita a milhares de mulheres e espalhada para todas as partes do mundo (46 países), sem circular no mercado norte-americano.

Os procedimentos de testes de drogas naquela época eram muito menos rígidos e, por isso, os testes feitos na talidomida não revelaram seus efeitos teratogênicos. Os testes em roedores, que metabolizavam a droga de forma diferente de humanos, não acusaram problemas. Mais tarde, foram feitos os mesmos testes em coelhos e primatas, que produziram os mesmos efeitos horríveis que a droga causa em fetos humanos.

No final dos anos 1950, foram descritos na Alemanha, Reino Unido e Austrália os primeiros casos de malformações congênitas onde crianças passaram a nascer com focomelia, mas não foi imediatamente óbvio o motivo para tal doença. Os bebês nascidos desta tragédia são chamados de "bebês da talidomida", ou "geração talidomida".

Em 1962, quando já havia mais de 10.000 casos de defeitos congênitos a ela associados em todo o mundo, a Talidomida foi removida da lista de remédios indicados . Os Estados Unidos foram poupados deste problema graças à atuação firme de Frances Oldham Kelsey, farmacologista encarregada pelo FDA (Food and Drug Administration) de avaliar os testes clínicos apresentados pela indústria.

Cientistas japoneses identificaram em 2010 como a talidomida interfere na formação fetal. Eles descobriram que o medicamento inativa a enzima cereblon, importante nos primeiros meses de vida para a formação dos membros.

Por um longo tempo, a Talidomida foi associada a um dos mais horríveis acidentes médicos da história. Por outro lado, estão em estudo novos tratamentos com a talidomida para doenças como o cancro, câncer de medula e, já há algum tempo, para a lepra.

Útil em doenças, como lúpus, alívio dos sintomas de portadores do HIV, diminuição do risco de rejeição em transplantes de medula e artrite reumatóide, a talidomina é indicada em cerca de 60 tratamentos.

Em 2012, a Gruenenthal, empresa produtora da talidomida pediu desculpas pelos danos causados .


terça-feira, 15 de outubro de 2013

Estratégia do "se colar, colou"


Operadoras cobram valores pequenos, 5 reais, por exemplo, nas contas telefônicas dos clientes, sabendo que a maioria não confere conta e que os poucos que conferem não vão reclamar, porque acham que não vale a pena perder tanto tempo e se estressarem tanto nas demoradas ligações para reclamar alguma coisa, e terminam deixando pra lá. 

Quando um usuário pega firme e leva em frente a reclamação, eles não criam caso, retiram o valor e apenas pedem desculpas, dizendo que foi engano. Só isto, e nada mais. Mas são pouquíssimos os que reclamam.

Acontece que 5 reais em mais de 30 milhões de contas geram mais de 150 milhões de reais em apenas um mês, valor esse que dá para pagar muitos mensalões, para que ninguém as incomode. 

É por isto que não há punições para operadoras de celular.

Exija televisores com Smart TV


As operadoras de tv por assinatura não tem interesse em que o povo se ligue muito nisto, mas é uma realidade, as inúmeras opções que temos em termos de televisão por internet, com alta qualidade, inclusive HDTV. 

O Netflix e outros sistemas do gênero é uma opção fantástica, principalmente para quem gosta de filmes.

Então, na hora de comprar um televisor novo exija que ele seja SMART TV, que é o televisor que pode ser ligado diretamente na internet, mas prefira os que ja são WiFi, porque ligam sem fio sem nem precisar comprar USB de rede externa. 

Cuidado com os vendedores das lojas, porque muitos sistemas recebem por fora para convencer o consumidor ao contrário. 

Entre plasma e LCD, prefira o televisor com LED, que é um LCD aperfeiçoado.

Alertas aos meus amigos


4G de brincadeira

Eu já imaginava que seria mais um engodo, aplicado no povo brasileiro. Comprei um ship de modem 4G, aqui em São Paulo, no dia 1 de maio, exatamente o primeiro dia que uma determinada operadora começou a vender. Eu fui o primeiro cliente a comprar na loja ... do grande Shopping Center Norte.

Depois de consultarem o computador, disseram-me que já estava funcionando em meu endereço e me deram uma relação de bairros onde já estaria funcionando.

Não comprei o modem deles, estavam cobrando R$ 499,00, o que é um absurdo. Preferi comprar um na Rua Santa Efigênia, que é 4G, marca muito elogiada no exterior.

Rodei São Paulo inteira e não funcionou 4G nenhum. Só funcionou 3G.

Voltei à loja, comuniquei o fato e disseram que só funcionava nos modens deles, o que caracteriza, mais uma vez, na burrice repetida das autoridades brasileiras, assim com fizeram no tempo da televisão PAL M. Pedi para testar, então, no modem deles.

Uma decepção: A velocidade média de UPLOAD foi de apenas 1.5 Mbps, que é uma vergonha, em se considerando tecnologia 4G.

Conclusão: Sugiro aos meus amigos para tenham cuidado na hora da empolgação pelo "4G" que, na minha opinião, de 4G não tem nada. Principalmente se falarem em contrato de FIDELIDADE.

Fonte:   www.alamarregis.com

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Discurso do General

A NOSSA LIBERDADE
(GEN PAULO CHAGAS)

Liberdade para quê? Liberdade para quem?

Liberdade para roubar, matar, corromper, mentir, enganar, traficar e viciar?

Liberdade para ladrões, assassinos, corruptos e corruptores, para mentirosos, traficantes, viciados e hipócritas?

Falam de uma “noite” que durou 21 anos, enquanto fecham os olhos para a baderna, a roubalheira e o desmando que, à luz do dia, já dura 26!

Fala-se muito em liberdade!
Liberdade que se vê de dentro de casa, por detrás das grades de segurança, de dentro de carros blindados e dos vidros fumê!

Mas, afinal, o que se vê?

Vê-se tiroteios, incompetência, corrupção, quadrilhas e quadrilheiros, guerra de gangues e traficantes, Polícia Pacificadora, Exército nos morros, negociação com bandidos, violência e muita hipocrisia.

Olhando mais adiante, enxergamos assaltos, estupros, pedófilos, professores desmoralizados, ameaçados e mortos, vemos “bullying”, conivência e mentiras, vemos crianças que matam, crianças drogadas, crianças famintas, crianças armadas, crianças arrastadas, crianças assassinadas.

Da janela dos apartamentos e nas telas das televisões vemos arrastões, bloqueios de ruas e estradas, terras invadidas, favelas atacadas, policiais bandidos e assaltos a mão armada.

Vivemos em uma terra sem lei, assistimos a massacres, chacinas e seqüestros. Uma terra em que a família não é valor, onde menores são explorados e violados por pais, parentes, amigos, patrícios e estrangeiros.

Mas, afinal, onde é que nós vivemos?

Vivemos no país da impunidade onde o crime compensa e o criminoso é conhecido, reconhecido, recompensado, indenizado e transformado em herói! Onde bandidos de todos os colarinhos fazem leis para si, organizam “mensalões” e vendem sentenças!

Nesta terra, a propriedade alheia, a qualquer hora e em qualquer lugar, é tomada de seus donos, os bancos são assaltados e os caixas explodidos. É aqui, na terra da “liberdade”, que encontramos a “cracolândia” e a “robauto”, “dominadas” e vigiadas pela polícia!

Vivemos no país da censura velada, do “micoondas”, dos toques de recolher, da lei do silêncio e da convivência pacífica do contraventor e com o homem da lei. País onde bandidos comandam o crime e a vida de dentro das prisões, onde fazendas são invadidas, lavouras destruídas e o gado dizimado, sem contar quando destroem pesquisas cientificas de anos, irrecuperáveis!

Mas, afinal, de quem é a liberdade que se vê?

Nossa, que somos prisioneiros do medo e reféns da impunidade ou da bandidagem organizada e institucionalizada que a controla?

Afinal, aqueles da escuridão eram “anos de chumbo” ou anos de paz?

E estes em que vivemos, são anos de liberdade ou de compensação do crime, do desmando e da desordem?

Quanta falsidade, quanta mentira quanta canalhice ainda teremos que suportar, sentir e sofrer, até que a indignação nos traga de volta a vergonha, a auto estima e a própria dignidade?

Quando será que nós, homens e mulheres de bem, traremos de volta a nossa liberdade?

* Paulo Chagas é General da Reserva do Exército do Brasil.